Um diagnóstico de catarata pode assustar. Por isso, neste texto, trazemos informações relevantes sobre a doença para que você possa entender melhor o que é, que tipos de lente para catarata existem, se a cirurgia de catarata é simples, entre outros.  

Devemos ressaltar que, em todo caso, a indicação é sempre ir ao oftalmologista, fazer acompanhamento regular e buscar o tratamento já nos primeiros sinais.  

O que é catarata? 

A catarata é uma doença comum, que costuma se desenvolver após os 60 anos, mas também pode ser congênita e se manifestar já em bebês recém-nascidos. Trata-se do desgaste do cristalino do olho, que é a nossa lente natural, causando sua opacificação. Existem diferentes tipos de lente para catarata, que devem ser implatandas e cada uma tem sua especificação. 

 

Por que a catarata é mais comum após os 60 anos? 

Por se tratar de um desgaste natural de uma das partes internas do olho, ela tende a se manifestar mais comumente após os 60 anos, o que não significa que todas as pessoas a partir dessa idade receberão este diagnóstico. 

Existem hábitos ou doenças que possam acelerar seu aparecimento? 

Sim. A cirurgia de catarata é simples e, por isso, muitas pessoas não se preocupam com prevenção. Mas, o uso de colírios com corticoides, sem prescrição médica, por exemplo, pode causar aparecimento de catarata. Não só isso, o diabetes sem controle, além de traumas, exposição excessiva à radiação e inflamações também podem acelerar o aparecimento doença ocular. 

Quais são os sintomas da catarata? 

 Os sintomas mais comuns são a dificuldade de focar e a vista embaçada. Mas é comum também a sensibilidade à luz, vista duplicada e distorções. Quando o estágio da catarata já é avançado, o paciente poderá enxergar apenas vultos e sombras ou até mesmo evoluir para a cegueira.  

É necessário ficar atento quanto a dificuldade para dirigir, caminhar e realizar outras atividades cotidianas. Em geral o paciente dirá que tem dificuldade de fazer trabalhos minuciosos, como costurar, ler e também poderá relatar quedas.  

 A partir de quando é recomendável fazer a operação? 

 A cirurgia de catarata é simples, portanto pode ser feita em qualquer idade. O momento exato deve ser definido pelo seu oftalmologista e, geralmente é feita quando compromete a qualidade de vida do paciente.  

A cirurgia é rápida, simples e feita apenas com anestesia local. No cristalino opaco será inserida uma lente intraocular. A lente correta deve ser definida pelo oftalmologista de acordo com a necessidade do paciente, já que existem vários tipos de lente para catarata. 

 Até quando depois do diagnóstico é preciso operar? 

Uma vez diagnosticada deve ser tratada com a operação o quanto antes. Hoje em dia, não é necessário mais o período de amadurecimento. Inclusive, há riscos maiores em pessoas que operam em estágios avançados. 

Todos as pessoas com catarata podem operar? 

Sim. No entanto, deve-se fazer o acompanhamento médico e observar as doenças crônicas, tais como diabetes e hipertensão, que devem estar sob controle para a realização do procedimento de implante da lente intraocular, substituindo o cristalino acometido. 

Quais as consequências que a catarata não operada pode causar? 

Uma das consequências mais graves da catarata é a cegueira. Inclusive, a catarata é uma das maiores causas de cegueira no mundo, segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia. Contudo, mesmo a cegueira provocada pela catarata é reversível, pois a substituição do cristalino por uma lente, corrigirá completamente a visão.